Acho que tão cedo não vou me cansar de Paris…

Claro que não fui tantas vezes assim para lá, mas há locais que visitamos uma vez e é suficiente para se conhecer, mas Paris…

Chegamos a tarde, deixamos nossas malas no hotel e fomos passear. O hotel em que ficamos era um pouco afastado da parte central e isso porque fomos contra todas as indicações que temos, do tipo programe-se, reserve com antecedência, busque, procure, pesquise. Mas no fim, tudo deu certo, o ônibus e o metro ficavam a uma quadra do hotel. Ah sim, tudo deu certo porque no ponto de ônibus encontramos uma francesa querida, que nos ajudou arranhando no inglês. Não sei porque falam tão mal dos franceses, claro que há os mal humorados, como em qualquer lugar do planeta, mas sempre conseguimos ajuda com muito boa vontade.

Nesse dia, pegamos o ônibus e fomos conhecer Montmartre. Chegando lá, a primeira coisa que se vê é a Basílica do Sagrado Coração de Montmartre ou La Basilique du Sacré Coeur de Montmartre e é linda, imponente lá no alto.

 

Um pouco de história? Pois bem, a basílica começou a ser construída em 1875, como pagamento da promessa de que, caso a França sobrevivesse ao exército alemão na Guerra Franco-Prussiana, uma igreja seria construída. O projeto de Paul Abadie foi escolhido em um concurso, iniciando assim a história dessa magnifica igreja, que foi toda construída em mármore travertino, o que lhe garante a cor branca.

Chegamos em Montmartre e começamos a subida, não contei quantos degraus eram, mas pelo que pesquisei, é algo entre 200 a 300, cada lugar diz uma coisa diferente. Enfim, depois de encarar os 200 degraus, você não vai desistir mesmo, então sobe o resto.

Acabei de chegar a conclusão de que preciso voltar para Paris e contar quantos degraus são. Se der preguiça, posso subir de funicular, que nem cheguei a ver dessa vez, ou então, posso pegar as ruas históricas do bairro e subir calmamente, desfrutando da história e da vista.

Mas conseguimos chegar… a Basílica é linda por dentro também, ela tem o formato de uma cruz grega (reta e com todos os braços do mesmo tamanho) e tem quatro cúpulas contando com a central. As pinturas do teto me impressionaram, bem como a estátua de São Pedro e os lindos vitrais. Sinceramente, assim como vários locais que já visitamos, não há palavras para descrever.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Deixe uma resposta