Encarando o Caminho do Itupava

A idéia de fazer a trilha do Caminho do Itupava veio em uma segunda de futebol. 14 caras “destemidos” e cheios de vontade, madrugaram na quinta-feira de finados e foram conhecer o tal caminho.

O Caminho do Itupava é uma trilha histórica com cerca de 22 km, que fica entre o distrito Borda do Campo em Quatro Barras, pertinho de Curitiba e a Estrada da Graciosa, no distrito de Porto de Cima em Morretes.

Trilha Histórica

Esta trilha foi aberta entre 1625 e 1650 e por mais de três séculos foi a única forma de ligação entre o litoral paranaense e a região de Curitiba. O trajeto inicialmente com cerca de 50 km, começava no passo do Belém, região do Passeio Público em Curitiba. Com o passar do tempo, o trajeto foi sendo alterado, até chegar ao que conhecemos atualmente.

O caminho foi aberto por indígenas e mineradores, posteriormente acabou sendo calçado com pedras por escravos, o que colaborou com a ocupação e colonização e também com o desenvolvimento sócioeconômico das regiões que interligava.

Entre 1873 e 1885 a Estrada da Graciosa e a Estrada de Ferro foram concluídas, o que fez com que o Caminho do Itupava fosse abandonado.

Trilha Atual

Em 1986 a Serra do Mar, incluindo o Caminho do Itupava, foi tombada pelo patrimônio histórico e natural do Estado do Paraná. As trilhas ainda conservam o calçamento original bem preservado em muitas áreas.

É possível conhecer ainda as ruínas da Casa Ipiranga, que foi a casa do engenheiro chefe da linha de trem, depois foi clube de lazer dos engenheiros da rede ferroviária e por fim, residência temporária do pintor Alfredo Andersen que ficava na casa de tempos em tempos, quando pintou diversas telas da serra do mar.

O Caminho

Contratamos uma van para nos levar até Quatro Barras, sendo que a mesma iria nos encontrar em Porto de Cima para nos trazer de volta a Curitiba.

Passamos a posto de acesso do IAP, perto do Morro do Anhangava, numa altitude de 990 metros.

No Caminho encontramos paisagens exuberantes, riachos, morros, cachoeiras.

Passamos pelo Morro Pão de Loth, onde começa a descida da serra e onde foi preciso cuidado redobrado para não escorregar.

Chegamos nas ruínas da Casa Ipiranga, onde normalmente as pessoas fazem pausa para descanso e lanche. Mas nós continuamos e fizemos algumas paradas no caminho. Pertinho das ruínas há um local onde é possível aproveitar as piscinas naturais e as cachoeiras formadas pelo Rio Ipiranga.

Saindo das ruínas, seguimos a linha do trem. Nessa trilha é necessário cuidado e atenção aos apitos do trem, pois quando ele passa, temos que sair dos trilhos e nem sempre há muito espaço.

Há algumas pontes onde devemos tomar cuidado onde pisamos para evitar acidentes, mas a vista é um espetáculo. E um dos túneis, mais comprido, é bem escuro, então é necessário levar uma lanterna, nós utilizamos a lanterna do celular.

Durante a trilha é possível ver a Represa do Véu da Noiva, passando por cima dos vertedouros. A Garganta do Diabo, vista entre dois tuneis de passagem do trem e que é uma enorme rocha com uma fenda. E ainda o Conjunto do Marumbi, composto por oito montanhas principais, sendo o maior o Olimpo, cuja altura é de 1539 metros de altura.

Continuando a trilha, chegamos ao Santuário do Cadeado, que tem uma vista linda do Pico do Marumbi, continuando daí, a trilha tem uma descida bem íngreme e escorregadia. Ao final dela, chegamos na altitude de 30 metros, continuamos até Porto de Cima, onde a van nos esperava para voltar para Curitiba.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Se preparando para a trilha

O Caminho do Itupava deve ser feito por pessoas que tenham preparo físico razoável, pois a trilha é de média complexidade, devido aos trechos de descida íngremes e escorregadios.

Prepare uma mochila com lanches, frutas e água, pois não há locais para comprar nada no Caminho.

Leve protetor solar e repelente.

Vá com calçados apropriados para trekking, devido ao calçamento da trilha e condições de tempo.

No mais, aproveite bem a vista do Caminho do Itupava.

Como chegar

Como falei no início a trilha começa no município de Quatro Barras, no distrito de Borda do Campo. Segue abaixo o mapa de apoio:

 

O mapa abaixo mostra o Caminho do Itupava e a Estrada da Graciosa:

Mapa do site Alta Montanha.

Deixe uma resposta